16 de maio de 2006

As marcas mais RICAS do Mundo

As marcas mais valiosas do mundo Vox NewsO estudo “BrandZ Top 100 Most Powerful Brands”, desenvolvido pela Millward Brown Optimor, apontou as marcas mais valiosas do mundo.O levantamento é o primeiro que agrega a pesquisa feita junto ao consumidor com os dados financeiros públicos para medir a contribuição que as marcas exercem no resultado final da empresa.
Veja o ranking das 10 mais, em bilhões de dólares:
1. Microsoft Corporation: 62,039
2. GE: 55,834
3. Coca-Cola: 41,406
4. China Mobile: 39,168
5. Marlboro (Altria Group): 38,510
6. Wal-Mart: 37,567
7. Google: 37,445
8. IBM: 38,084
9. Citigroup: 31,028
10. Toyota: 30,201

3 comentários:

  1. Publicitários ensinam como atrair consumidor

    O tema 'Varejo e Comunicação: como tudo acontece?' foi o prato principal esta semana do Almoço do Varejo, evento mensal promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre. O encontro reuniu o publicitário Marcelo Pires, o diretor de Planejamento da agência Escala, Martin Haag, e o diretor de Criação da Dez Propaganda, Carlos Saul Duque. Haag sustentou que é fundamental que a comunicação faça sentido para as pessoas. 'Tem que deixar de ser o mal necessário', observou. Ele complementou que 'publicidade não vende'. Conforme Duque, quem vende é o vendedor, mas a publicidade leva o consumidor à porta da loja.

    O publicitário criticou a tendência dos grandes anunciantes de investirem na publicidade calcada no material, viabilizando a compra, comunicando-se com o bolso do consumidor quando deveria mexer com a emoção. Na sua opinião, focada no material, a propaganda está dura. Ele ensina que a ação deveria ser sobre corações e mentes, trabalhando o sonho, o desejo e não o produto. Para ele, a relação centrada no produto fica muito comercial e diz que é preciso voltar a falar ao coração e à mente das pessoas para conquistá-las.

    Na avaliação dos publicitários, o homem está ficando parecido com a mulher no consumo, revelando mais cuidado nas compras e o varejo deve ficar atento. 'Cada vez mais, a comunicação tende a ter uma mensagem só para homens e mulheres', ensinou Duque. Ele e Marcelo Pires defenderam que as mulheres são mais inteligentes na hora do consumo. Haag lembrou ainda que os homens compram mais, com menos freqüência, entendendo que há uma nova fronteira no varejo: aprender a vender para eles. 'Homens e mulheres respondem bem à comunicação desde que seja voltada ao que é relevante para um e outro', destacou.

    ResponderExcluir
  2. Fantastic1:32 PM

    A JWT Brasil ganhou duas estatuetas de bronze na categoria TV/Cinema no Clio Awards Festival, que terminou na terça-feira (16), com a divulgação dos ganhadores da categoria TV/Cinema e Rádio. A agência recebeu os prêmios pelos anúncios "Children" e "Jinxed" para a Gun-Free Society e Kleenex, respectivamente. A JWT, que já havia ganhado a prata na categoria mídia impressa, com o anúncio "Stuart Sutcliffe", também para a Kleenex, terminou o festival com três prêmios. Somadas os dois bronzes da JWT, o Brasil ganhou ao todo 10 estatuetas no Clio Awards 2006: dois ouros; três pratas e cinco bronzes.

    ResponderExcluir
  3. E a Microsoft sempre consegue aumentar sua receita...

    Tocador da Microsoft encara líder iPod

    O portátil Zune será capaz de tocar vídeos, trocar músicas via rede sem fio e sintonizar estações de rádio

    GLENN CHAPMAN
    DA FRANCE PRESSE

    O Zune (www.zune.net), tocador de arquivos multimídia da Microsoft, chega às lojas com a difícil missão de derrotar o campeão mundial no segmento, o iPod, da Apple. O aparelho tem aparência semelhante à do rival, mas aposta mais na funcionalidade do que no estilo. "Ou o Zune vai levantar vôo como um foguete ou não irá a lugar nenhum", diz o analista de mercado Rob Enderle, do Enderle Group (www.enderlegroup.com). "Não há meio-termo. O aparelho é diferente o suficiente para surpreender a Apple", completou o norte-americano. O Zune tem capacidade para armazenar 30 Gbytes de dados e custará aproximadamente US$ 250, algo equivalente aos iPods em termos de memória e de preço. A música para o aparelho será vendida pela internet, por meio do portal Zune Marketplace, mesmo sistema usado pelo aparelho da Apple, que tem a loja virtual iTunes. As semelhanças param por aí. O tocador da Microsoft tem habilidades que o concorrente só tem com a ajuda de acessórios comprados separadamente, como sintonizar estações de rádio FM e transferir músicas por conexão sem fio. "Eles possuem um produto ímpar com uma única atração diferenciadora -o compartilhamento de música", afirmou o analista Michael McGuire, da Gartner. "Acho que isso será, antes de mais nada, uma experiência social", completou o especialista. "A capacidade de comprar canções com rapidez tornou-se muito grande", completa. O ponto negativo do aparelho é que as músicas compartilhadas são apagadas do Zune de quem as baixou depois de três dias ou depois de terem sido tocadas três vezes, mesmo se apenas um trecho dessa música tiver sido reproduzido. Quem pega canções emprestadas de outros usuários tampouco consegue comprar instantaneamente as músicas por meio da conexão sem fio com a internet. O Zune tem um revestimento emborrachado e tela com boa resolução para a visualização de vídeos.

    NEM TANTO AO CÉU

    Defensores da Creative Commons, formato alternativo de licença de direito autoral que prevê a livre distribuição de conteúdo, reclamam das limitações do Zune, que toca arquivos recebidos via Wi-Fi apenas três vezes. A medida que visa barrar a pirataria entre os usuários iria contra os princípios defendidos pela CC.

    NEM TANTO À TERRA

    De acordo com o portal ZDNet (blogs.zdnet.com), o Zune não é capaz de trocar músicas de PCs que tenham o Windows Vista. Os programas contra pirataria do tocador e do sistema não seriam compatíveis. A versão do Vista avaliada não é a oficial, que tem chegada prevista para 30 de janeiro do ano que vem.

    STRIP

    O dono do Bunnie's Blog não teve pena de seu Zune: desmontou o aparelho peça por peça e exibiu seus pedaços no link www.bunniestudios.com/wordpress/?p=131. Entre as descobertas do curioso blogueiro, está a possibilidade de o tocador da Microsoft ser compatível com versões do sistema operacional Linux.

    Acordo com gravadoras é trunfo
    DA FRANCE PRESSE

    A Microsoft vem cortejando agressivamente artistas e gravadoras, chegando ao ponto de prometer ao Universal Music Group uma fatia dos lucros obtidos com a venda de músicas para o Zune.

    Conquistar os provedores de conteúdo pode ser algo fundamental quando a gigante do ramo tecnológico ingressar na área de venda de filmes. O tocador não tenta tirar mercado apenas do iPod mas também dos aparelhos da Samsung, da Creative e de outras empresas que se aliaram inicialmente à Microsoft contra a Apple.

    A iTunes dispõe de cerca de 3,5 milhões de músicas vendidas por US$ 1 cada uma. O Zune oferece 2 milhões de músicas.

    ResponderExcluir