19 de outubro de 2006

Coca-Cola Company mais novidades no Brasil



Olha só, e por falar em iogurtes, produtos lácteos e similares, advinha quem fará parte deste abrangente mercado ? Sim o maior fabricante de refrigerantes do Mundo, a Coca-Cola Company !
A Coca-Cola, quem diria, vai estrear no mercado lácteo. A maior fabricante de refrigerantes do mundo dá mais um passo importante na direção oposta de seu carro-chefe. Depois da compra da Sucos Mais no ano passado, agora a Coca-Cola prepara o lançamento de um achocolatado.

A produção será centralizada na fábrica de Linhares (ES), adquirida com a compra da Sucos Mais, e o lançamento exigiu a primeira expansão da planta, já na gestão da multinacional. A Coca-Cola investiu R$ 32 milhões em uma linha totalmente nova e contratou 250 novos funcionários.
O lançamento do achocolatado é mais uma prova da estratégia da Coca-Cola de ampliar seu portfólio e entrar em novas categorias, diz Andréa Mota, diretora de marketing de novas bebidas da Coca-Cola Brasil. O lançamento obrigou a Coca a mergulhar em um universo totalmente novo, como formar uma rede de fornecedores de leite.
O Brasil será o primeiro país da América do Sul a receber o produto, que já está no México, Estados Unidos e vários países asiáticos, como China, Japão, Taiwan, Hong Kong e Indonésia. A fórmula, porém, foi modificada para adequar-se ao paladar brasileiro: tem 61% de leite e é mais espesso e consistente.

Um comentário:

  1. Schweppes entra no cardápio light da Coca-Cola

    Os supermercados de Curitiba e do Rio de Janeiro estão começando a receber a versão light da tônica Schweppes, produzida e distribuída pelos fabricantes da Coca-Cola. O lançamento do produto no Sul será no Crystal Fashion, um dos principais eventos de moda da capital paranaense, que começou ontem e vai até o dia 21.

    Neuri Pereira, da Spaipa: "A demanda vem se acentuando nos últimos anos"

    A aposta está em uma peculiaridade do mercado local: Curitiba é uma das capitais que mais consomem bebidas light e diet no Brasil. Segundo a AC Nielsen, de janeiro a agosto, as vendas desse segmento cresceram 1,9% no país em comparação com igual período de 2005, mas na cidade a alta foi de 21,6%.

    O lançamento faz parte da estratégia da Coca-Cola de ter versões de baixa caloria para todas as suas bebidas. No caso da engarrafadora Spaipa, franquia que atende o Paraná e o interior de São Paulo, a ênfase em oferecer a maior variedade desses produtos é ainda maior, porque a demanda tem crescido. Em 2004, 8,6% do volume de vendas da empresa era de produtos light e diet, o chamado "clube zero". Hoje essa fatia é de 11%.

    Nesse meio tempo a empresa serviu de laboratório para a nova Coca-Cola Light, que chegou antes ao mercado de Curitiba, em outubro do ano passado. Também foi a Spaipa que fez a primeira Coca-Cola Light, lançada em 1997. A empresa faturou R$ 1,048 bilhão de 2005.

    "Temos acompanhado a demanda, que vem se acentuando nos últimos anos", diz Neuri Pereira, superintendente de vendas e marketing da Spaipa. O fato de os curitibanos gostarem de bebidas sem açúcar remete ao início da produção desses refrigerantes no Brasil.

    Neuri lembra que foi Adriano Richa, irmão do atual prefeito da capital paranaense, Beto Richa, quem liderou a batalha pela liberação dos refrigerantes livres de açúcar no país, nos anos 80. Na época, o garoto que descobriu ser diabético aos sete anos não se conformava em ser privado do consumo dessas bebidas, cuja produção era proibida sob a alegação de que poderia causar câncer.

    "Havia gelatina e chocolate dietéticos, porque então o refrigerante não podia ser feito (sem açúcar)?", lembra Adriano, que tinha 14 anos quando criou a Associação Paranaense do Diabético Juvenil. O pai dele, José Richa, ex-governador do Paraná e também ex-senador, ajudou a abrir as portas para os pedidos do filho. Quando Richa morreu, em 2003, o senador Pedro Simon citou a luta de Adriano em seu discurso a parlamentares e reconheceu o mérito do garoto para conseguir a liberação para produção de refrigerantes dietéticos.

    No final dos anos 80 chegou ao mercado o guaraná diet Dolly. Com a liberação da produção, aos poucos foram sendo criados outras bebidas sem açúcar. O segmento light chegou em 1997, com a Coca-cola, que antes produzia a Diet Coke.

    A Schweppes, vista como a primeira marca de refrigerantes criada no mundo (foi desenvolvida em 1783, na Inglaterra) terá os sabores tônica e citrus light. A marca foi adquirida pela Coca-Cola em 1999 e se posiciona no mercado premium. O lançamento da versão light marca também o início de produção da bebida pela Spaipa, que até agora fazia apenas a distribuição.

    ResponderExcluir