9 de março de 2006

Mastercard e Argentina X Brasil



Prometo ser, ou pelo menos tentar ser Neutra quanto a esta postagem referente ao Carlitos Tevez e Mastercard.
Muitos sites já divulgaram, e eu também achei legal colocar a Nova Campanha da Mastercard Patrocinadora Oficial da Seleção Argentina de Futebol na Copa do Mundo da Alemanha. A campanha esta disponível no site da Mastercard Argentina: www.mastercard.com.ar pra quem quiser conferir as fotos...basicamente a propaganda é a seguinte:

  • O corte de Carlitos: R$ 15,00
  • O Balón (bola) do Brasileño: R$ 40,00
  • Camisa do Corinthians: R$ 50,00
  • Que el mejor jugador del futbol brasileño ser argentino: No tiene precio.
  • Vamos Tevez, vamos Argentina !

Bom, como já disse acho melhor eu não comentar, mas talvez isso sirva para nós brasileiros que colocamos sempre os outros na nossa frente, os chineses, os japoneses, os portugueses, os super poderosos americanos, e até os argentinos....onde isso vai parar ?? Comente por favor !

7 comentários:

  1. Anônimo2:36 PM

    Pior que deve ter corintiano achando isso o máximo, eles são tão fanáticos pelo Coringão que perdem a noção.
    Alessandra

    ResponderExcluir
  2. Anônimo8:52 AM

    Oi Helena, achei seu Blog muito legal. Faço Publicidade na UNIP de Araçatuba. Bom, em relação a Campanha do Mastercad, achei bem criativa, mas não tão provocativa, já que muitos brasileiros, formadores de opinião, também fazem trocadilhos com essa afirmação. Ou seja, não é uma novidade para nós, acontece é que quem anda falando agora são os argentinos...deve ser o máximo para eles.
    Abraços.

    ronaldowerneck@ig.com.br

    ResponderExcluir
  3. Anônimo10:32 PM

    Uma coisa é achar q todos são melhores do q nós, outra é aceitar o talento de outros, independente de cor, raça, religião e etc.
    Se os europeus tivesse a msm bronca q nós brasileiros temos em afirmar que jogador de fora, é sim o melhor jogador no momento no Brasil, Ronaldinho jamais seria o melhor do mundo.
    Q bom, q eles não são tão orgulhosos, e nem tão arrogantes como nós.
    E q pena q a nossa modestia, e a frase "pais de todos", não passa de propaganda enganosa.
    E só para provar, imaginem se esse video fosse o inverso, será q iriamos odiar??Duvido.

    ResponderExcluir
  4. I Hate ARGHENTINOS!!!

    Vejam Isso

    Camisas do ex-corintiano Tevez não saem nem na promoção

    Tevez deixou o Corinthians em agosto deste ano, e de lá para cá, de ídolo, se tornou uma espécie de fantasma para os corintianos, que acompanham - e secam - com atenção o desempenho do West Ham no Campeonato Inglês, e pensam o que teria acontecido com o time se o argentino não tivesse fugido, depois dos desentendimentos com o técnico Emerson Leão.

    Mas no caso dos corintianos que vão à loja de fábrica da Drastosa, na Lapa (zona oeste de São Paulo), que produz e vende o material esportivo com a marca da Nike, o fantasma se materializa em forma de camisetas do Corinthians. São dezenas, à venda em preço prom ocional, R$ 50, todas com o número 10 e o nome “Carlitos” às costas. São do modelo anterior ao utilizado hoje em dia pela equipe e lotam uma arara que é solenemente ignorada pelos corintianos na loja. De todos os tamanhos, estão encalhadas.

    A reportagem presenciou, no último sábado, por cerca de meia hora, dezenas de clientes que percorriam a arara, camisa a camisa, em busca de uma “imaculada”, sem o nome do “traidor” e, no máximo, encontravam uma ou outra camisa 3, do também argentino Mascherano, que também foi embora. A reação dos potenciais clientes era a mesma: depois de olhar tudo, o cliente soltava um suspiro e comentava com alguém ao lado que “essa aí eu não quero nem de graça”. Reação semelhante à de centenas de corintianos que compraram a camisa do ex-ídolo e, irritados com a deserção, cobriram seu nome com fita, crepe ou isolante.

    A Nike não divulga números de vendas, mas estimativas dos lojistas apontam que, enquanto defendeu o Corinthians, Tevez foi o maior vendedor de camisas - cerca de metade dos corintianos levavam a camisa com seu nome ou, no mínimo, o número 10 anônimo. A Nike só faz o licenciamento, e ganha o seu percentual a cada camisa que sai da fábrica para a loja. Assim, se as camisas são devolvidas quem arca com o prejuízo são os lojistas e a Drastosa, a fabricante.

    Como o torcedor não tem nada a ver com isso, fica a dica para um presente de Natal àquele amigo - ou inimigo - corintiano. Afinal, as camisas oficiais da equipe hoje não são encontradas por menos de R$ 150, modelo atual, apenas com o número nas costas. Para estampar o nome, gasta-se cerca de R$ 15. Se o presenteado se chatear com o nome de Carlitos Tevez, basta aplicar um pedaço de fita. E continuar de olho na tabela do Inglês, em busca do próximo jogo do West Ham.

    ResponderExcluir