9 de janeiro de 2009

Agências On-line não sentem crise...



Recebi do amigo Sergio Sakuma esta matéria do Valor Econômico desta semana, e posso dizer que é verdade, pelo menos por aqui ainda não sentimos o aperto da crise (com a Graça de Deus) algumas diminuições mínimas preventivas, mas de resto...nada !

Neste atual momento de desespero de muitas empresa é legal lembrar que a comunicação online não foi abalada, os empresários preferiram diminuir outros tipos de investimentos.

Nada de crise. Entre as agências de publicidade, a expectativa é que o crescente volume de internautas do país impulsione as apostas na propaganda on-line. "Anunciantes da nossa carteira que ainda estão definindo verbas de mídia vão aumentar os investimentos na internet", diz Ricardo Reis, diretor da subsidiária brasileira do Grupo Havas, sexto maior grupo de publicidade do mundo.

A mesma tendência é percebida pela MídiaClick. "Ferramentas populares como as redes sociais ainda não foram aproveitadas pela publicidade", comenta Marcelo Sant'Iago, diretor-geral da agência. "Esse tipo de recurso deve chamar a atenção das empresas neste ano."

O crescimento da propaganda na rede, segundo os publicitários, está relacionado à capacidade de entrega de resultados da internet. No meio digital, o anunciante consegue medir exatamente qual é o retorno de sua campanha, uma característica que ganha ainda mais relevância no momento em que empresários só pensam em reduzir custos. "O segredo é saber combinar as oportunidades de cada meio, e a internet não pode ficar de fora", diz Sant'Iago.

Estimativas da instituição Interactive Advertising Bureau (IAB) apontam que a publicidade on-line movimentou cerca de R$ 700 milhões no país em 2008, o equivalente a 3,5 % do bolo publicitário. Segundo o diretor-geral da MídiaClick, é preciso somar ainda os gastos com links patrocinados, que não estão na conta do IAB. "Os links já são cerca de 30% dos negócios de publicidade on-line no país, certamente esse já é um mercado superior a R$ 1 bilhão."

A empresa de pesquisas Pyramid Research projeta que, até 2013, 8% dos investimentos em propaganda estarão na web. (AB)

Um comentário:

  1. Muito bom mesmo, humor quando bem feito, funciona muito bem!

    ResponderExcluir