30 de janeiro de 2006

Marcas que respeitam o Consumidor:

Matéria retirada do Jornal Gazeta Mercantil de Dezembro de 2005
***Para melhor vizualição clique sobre a imagem***

Um comentário:

  1. Publicitários discutem o novo consumidor

    O consumidor mudou e está cada vez mais difícil conquistá-lo. Mais exigente e desconfiado, ele tem à sua disposição armas para escapar da publicidade que vem em enxurrada por todos os lados: TV, internet, rádio, malas diretas, jornais, revistas. "Eles estão cansados de ser bombardeados por tantas campanhas", disse Michael Solomon, professor de comportamento do consumidor da Auburn University, no estado do Alabama (EUA). Nos Estados Unidos, uma dessas ferramentas, o Tivo, que permite gravar programas sem anúncios, já é bastante difundido.

    Como lidar e agarrar esse novo consumidor é o desafio da publicidade nos dias de hoje. Esse foi o tema de sua palestra realizada em 12/04, no evento "Consumidor Moderno - Marketing Show", realizado pela Padrão Editorial (que publica a revista "Consumidor Moderno").

    Esse cliente quer um produto ou serviço que, além de funcionar, ofereça uma experiência diferente e gratificante. Para Solomon, o setor precisa reconhecer esse novo personagem e descobrir formas para alcançá-lo.

    Segundo ele, o consumidor moderno prefere ter referência de um produto por meio de outra pessoa, igual a ele. Nesse novo contexto, a indicação "boca-a-boca" torna-se mais relevante. Outro formato para esse tipo de comunicação é a internet. Através de blogs e sites as pessoas podem transmitir experiências para outros internautas. "As empresas precisam estar atentas para o nível de satisfação dos seus clientes e monitorar o que eles estão falando de sua marca."

    A interatividade, diz ele, é uma forma de envolver esse cliente em potencial. A Sony, por exemplo, lançou um comercial onde os espectadores podem escolher finais diferentes. "O consumidor não quer mais ser receptor. Ele quer participar desse processo", diz.

    ResponderExcluir